quinta-feira, 30 de outubro de 2014

CLEPTOCRACIA



Cleptocracia, 
é um termo de origem grega, que significa, literalmente, “Estado governado por ladrões” , 
cujo objectivo é o do roubo de capital financeiro dum país e do seu bem-comum.

A cleptocracia ocorre quando uma nação deixa de ser governada por um Estado de Direito imparcial e passa a ser governada pelo poder discricionário de pessoas que tomaram o poder político nos diversos níveis e que conseguem transformar esse poder político em valor econômico, por diversos modos .


A fase “cleptocrática” do Estado ocorre quando a maior parte de sistema público governamental é capturada por pessoas que praticam corrupção política, institucionalizando a corrupção e seus derivados como o nepotismo, o peculato, de forma que estas ações delitivas ficam impunes, devido a que todos os setores do poder estão corruptos, desde a Justiça, os funcionários da lei e todo o sistema político e economico.

É UM CÂNCER A SER EXTIRPADO.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Vocação para pobreza!!!



FONTE: http://asubstancialouca.blogspot.com.br/2014/10/o-brasileiro-tem-vocacao-para-pobreza.html


segunda-feira, 27 de outubro de 2014

O BRASILEIRO TEM VOCAÇÃO PARA A POBREZA

54 milhões e quinhentos mil imbecis, assinaram ontem um cheque em branco, que dá plenos poderes ao governo que aí está, para continuar assaltando os cofres públicos. A maioria esmagadora de nordestinos, uma região que historicamente não prospera e é um verdadeiro bolsão de miséria. Usando as palavras do meu irmão mais velho, médico baiano e trabalhador incansável,  venceu a parte que não produz, a escória da preguiça, os cangurus filhos das bolsas. Reflexo imediato desse desastre: As bolsas caíram, o dólar disparou. A médio prazo desaparecerão os investidores e a economia, já tão combalida, irá despencar de vez. Em 1992, Fernando Collor foi eleito por uma diferença praticamente igual a de ontem, que foi de pouco mais de três milhões de votos, dois anos depois, um impeachment o tirou do poder, pelos escândalos de corrupção denunciados pelo próprio irmão. Espero que aconteça o mesmo com este governo corrupto e sujo que acabou de ser reeleito. Até lá, teremos que conviver com a vocação para a pobreza que o brasileiro tem.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Full Throttle?






Lembra de Full Throttle?

“Uma hora você está na estrada, pilotando. Sem nenhuma preocupação. Aí um cara de terno chega, diz que tem um rolo para você e sua gangue. Mas quando você se toca, está com um galo na cabeça, a lei na a cola e uma sensação de que a estrada em que você está vai ficar muito mais esburacada…”

Parece a sinopse daqueles filmes de ação classe B dos anos 90. A década está certa, só que não é filme. É Full Throttle, um dos mais icônicos jogos de computador da história.

Full Throttle é um clássico ‘point and click’. Point o quê? Point and click, aqueles jogos em que tudo o que é necessário é o mouse para clicar e mandar o personagem se movimentar e interagir com o cenário e objetos. Gênero esse que foi um dos principais da LucasArts, estúdio de games ligado a George Lucas, criador de Star Wars e Indiana Jones, e que encerrou suas operações em abril do ano passado após ter sido comprado pela Disney (maldito Mickey!!).

Voltando ao jogo, a palavra-chave é aventura sobre rodas. O protagonista é Ben, líder da gangue Polecats. O objetivo dele é um tanto quanto romântico: impedir que a última fabricante de motocas nervosas caia nas mãos de empresários corruptos que vão extinguir as motos por toda a eternidade. Tudo se passa em um 2040 fictício, numa mistura de Mad Max com Easy Rider. Adicione um pouco de romance, suspense e comédia e uma das obras-primas dos anos 90 está pronta.

Na época, Full Throttle impressionou pela qualidade das dublagens. Os diálogos eram o forte do jogo, o elemento responsável por contar e fazer a história se desenrolar. Eles também eram essenciais — algumas partes pediam que o jogador escolhesse determinadas opções de respostas e, dependendo da opção, acabava morto, tendo que tentar de novo e reagir corretamente à situação.

Ben foi dublado por Roy Conrad, um ator pouco conhecido, mas que fez um trabalho fantástico em Full Throttle. A voz grave coube perfeitamente à frieza e à aspereza do protagonista, que respondia de forma curte e grossa – e às vezes irônica – e não levava desaforo para casa. Certamente um dos mais durões personagens da história dos games.

Relembrar é muito bom, mas é melhor ainda fazer isso na prática. Quer jogar Full Throttle e sentir aquele cheirinho de asfalto e encrenca? Fácil. É só baixar o emulador ScummVM (da própria página do projeto) e o arquivo do jogo (essa versão aqui não tem legendas em português). Aí é só seguir as instruções, abrir o game e passar umas boas horas nos anos 90. Ou se você tem preguiça e medo de pegar estrada, pode assistir a esse vídeo aqui, com Full Throttle de cabo a rabo.

O jogo quase ganhou duas sequências – uma no mesmo estilo, que se chamaria Full Throttle: Payback, que começou a ser produzida em 2000, e outra chamada Full Throttle: Hell on Wheels, mais focada na ação do que na aventura, e com versões para Playstation 2 e Xbox (uma demo chegou a ser mostrada na E3 de 2003). Nenhuma delas foi muito além da fase de projeto.

Full Throttle foi o primeiro game de aventura da LucasArts a ser lançado para Windows, já que todos os outros rodavam somente em MS-DOS, aquele sistema de tela preta em que era preciso digitar os códigos para rodar os programas. Criado em 1995, foi o décimo jogo criado com a Scumm (Script Creation Utility for Maniac Mansion), uma plataforma de linguagem e desenvolvimento criada inicialmente para Maniac Mansion, outro clássico, e que posteriormente foi usada para desenvolver jogos como Sam & Max, The Secret of Monkey Island e Day of the Tentacle.

Ou seja, Full Throttle é só um de uma família gigante de point and clicks de aventura da finada LucasArts. Mas já que você baixou o programa para jogar Full Throttle (confesse, você não resistiu e já está fazendo o download), aproveite e conheça o resto nessa retrospectiva aqui:





terça-feira, 21 de outubro de 2014

O LADO ESPIRITUAL


O ser humano ainda não saiu da ingnorância Espiritual e de sua CASCA! 
Eu percebo que quanto mais eu e ajudo amigos ou pessoas que perderam a esperança na vida, mais LUZ se abre no caminho!

A mente Espiritual se dilata e vc acaba vendo a realidade dentro de cada pessoa, os anseios, medos, dúvidas, dívidas e carências.

As vêzes uma simples palavra pode evitar um SUICÍDIO.

Somos pessoas de carne e osso encarnadas neste mundo dimensional. Em essência o ser humano é de todo igual.

A mesma dor que me aflige, atinge o próximo em igual intensidade!

Portanto faz-se necessário entender o outro mesmo na contenda, porque mais tarde aquele que hoje ignora poderá estar lado-à-lado na mesma jornada.

Os sistemas POLITICOS de vida e o poder secular deste mundo temporal desprezam isso! é o esfriamento do Amor e a derrota dos bons costumes com a fatídica inversão de valores!

Muitos esquecem ou nem sabem que estamos aqui de passagem e vamos reencarnar infinitas vêzes o quanto for necessário para o nosso aprimoramento!
Bem vindo ao Plano TERRA - Planeta Escola - plano de provas e expiações!!! desterro de dor e aprendizado!!!

E prestem bem atenção: "quem não vai pelo Amor vai pela dor" - e assim tem sido!

Portanto vamos guardar nosso coração em Paz perante todas as coisas - os bons e mansos de coração herdarão a Terra.

Um plano de vida bem melhor numa outra dimensão certamente nos aguarda!!!

PAZ e LUZ: Tulio - http://www.tuliofuzato.com.br/

QUEM É TULIO???


Meu nome é Tulio Fuzato e alguns me conhecem como o baterista amputado. 57 anos (2014).
Eu sou casado com a Paulistana Lia Campos e tenho 2 filhos de um outro casamento + 4 entiados! AFF, rsrsrs ....
Sou oriundo do universo da Publicidade e Marketing, tendo a Música como uma segunda profissão.
Venho de uma Familia Musical: meu avô Tulio sanfoneiro de bailes em São João Del Rey MG - meu Pai violonista de seresta - minha mãe cantora!
eu aprendí violão com meu Pai e hoje além da bateria eu tenho contrabaixo, guitarra e teclados no meu studio pra distrair a cuca e criar meus temas!
Meu primeiro contato com a bateria foi em 1967 aos 10 anos numa festa de escola com uma banda de garotos. Pra contar vantagem, eu pirralho no meio dos adolescentes disse que tocava bateria; então depois do primeiro intervalo o cara da batera me passou um par de baquetase disse: si vira amigo, tu num é baterista? (RISOS). E eu atônito toquei  - "I cant get no" -  dos STONES sem num nunca ter sentado numa bateria.
Dalí pra frente este instrumento passou à ser a minha PAIXÃO!
Em 2003 beirando os 47 anos eu me ví numa situação nunca antes imaginada.
Desempregado! estressado, alucinado, separado, contas pra pagar e com DEPRESSÃO. Fui à um médico que me receitou "calmantes", mas eu inadvertidamente, consumía ALCOOL e num daqueles Dias Lá fui eu chapado pra Rua procurar um trampo de Free-Lancer.
Tive um mal súbito e caí desmaiado numa plataforma de ma estação do METRÔ do Rio de Janeiro.
Foi o maior FILME de TERROR já visto por mim! Tive as duas pernas esmagadas por amputação traumática!
Após 8 meses internados eu finalmente conseguí ter alta e fui encaminhado para a ABBR onde me tornei um paciente expoente pelo meu bom humor e capacidade de querer encarar os desafios - (QUANDO ESTAMOS MOTIVADOS PODEMOS IR AO INFINITO) - Depois de algum tempo eu ja estava protetizado com uma "pernoca" do SUS e podia andar pequenos trechos.
Voltei a trabalhar montando um "home-office" com Lia e amigos inconformados me levaram num show "supresa" em que o baterista seria eu!
Naquela altura dos acontecimentos eu não tinha a menor noção de como tocar bateria acionando os pedais com o peso relativo da perna mecanica.
De certo modo foi mais uma homenagem de vida e garra do que um show. Porém, logo depois disso eu voltei aos treinos e já se passaram 10 anos.
Hoje eu domino e toco perfeiamente sem problemas com apenas um pedal de Bumbo adaptado e nada mais!
De 2003 pra cá muita água já rolou e foram muitos episódios muitos acontecimentos alguns enraçados, hilários e outros nem tanto.
Certo dia na ABBR eu resoví surtar devido à uma condição contraria à minha vontade. Foi quando me ví lamentando sobre o meu estado Físico, minha vida e o que seria??? Foi quando entrou um negro muito jovem cego, amputado das duas pernas e tocando a cadeira de rodas com apenas um dos braços pois o outro estava radicalmente amputado - este rapaz sorria e falava coisas maravilhosas! Daquele dia em diante e resolví nunca mais reclamar e me tornei um ativista das causas dos Def. Físicos (P.C.D.) . Tive a oportunidade áurea de me superar e re-erguer aqueles outros tão sofridos que estavam comigo no mesmo barco!
Toquei na festa de final de ano da ABBR em 2007 causando muito impacto com a Banda do batera "perneta" (RISOS).
Gravei um CD intitulado PLANETA LOUCURA e está tudo registrado no meu canal de youTube basta digitar Tulio Fuzato na barra do Google.
Em 2009 eu me habilitei novamente com um carro adaptado e tive a felicidade de levar quase 1.000 pessoas pra Rua no Show do Velho Vinil na Banca do Blues no centrão do Rio de Janeiro.
Em 2013 conhecí a Equipe do espaço ideal eventos e foi criado o projeto SUPERA-ROCK que são palestras motivacionais + pocket-show voltadas para executivos do mercado corporativo.
Atualmente eu faço parte de um seleto time da OTTOBOCK pela ortopedia FOLLOW-UP de Mário César Carvalho, Engenheiro Bio-médico que cuida do meu caminhar.
Muitas coisas aconteceram e muita água já rolou. Eu sinto que tenho duas vidas dentro de uma vida e que de 2003 pra cá eu sou um outro Tulio humanamente falando!
O destino me trouxe pessoas maravilhosas que me fizeram acreditar e apostar todas as possibilidades numa nova vida com novas perspectivas mesmo depois de uma tragédia da qual ninguém está Livre!
Certamente Deus à frente de tudo me colocou ANJOS em forma humana que demarcaram uma trajetória para um homem que por vontade própria estava determinado à superar e ressurgir com uma nova vida ........


segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Rosi Braga e Banda Amplitude


Sábado 20:00 - 11 de out. 2014.

Show da Cantora Rosi Braga e a Banda Amplitude Revival de SG no Bar do Pepe maneiro projeto Terraço Blues na ponta do Francês itaipuaçú Maricá Rio de Janeiro.

A Banda largou nos ouvidos dos habituées do point um Rock de FM com muita qualidade.

Rodrigo Guima caprichou nos clips e Lia C. Fuzato complementou o trabalho com sua Câmera.

A Banda só fêz um ensaio e nos conhecemos tem uns 3 dias.
Deu pra ver que se ficar redondo vai dar pra encarar qualquer GIG de qualidade.

Desejo agradecer aqui ao meu Roadie, produtor amigo, il mio fratello LELLO ROCKER, Pepe, Rodrigo Guimarães e Lia minha mulher.

NÓS TOCAMOS SUA FESTA - CONTRATE: tulio.fuzato@gmail.com

THE BAND:
Alessandro Marlon - ALL GUITARS
Douglas Mytchell - Bass and voices
Rosi Braga - LEAD VOICE
Tulio Fuzato - Drums and voices

MUITAS FOTOS e CLIPS no youTube --------- vamus Lá



























































quinta-feira, 9 de outubro de 2014