sábado, 19 de julho de 2014

Pratos de Bateria


Quer comprar prato de bateria???

ainda tá em dúvida???

PODE ESCOLHER as MARCAS, 
ahahahaha .....

Ziltannam
Orion
Krest
Octagon
Harpy
Gope
Weril
Karach
Zildjian
Paiste
Sabian
istambul
Bosphorus
Turkish
ixir
Meinl
Ufip
Jaguar
Lake
Zyn
TRX
Zion
Symrna
Trexist
Sound Vader
Spizzichino
Murat Diril
Craig Lauritsen
Masterwork
Saluda
SoulTone
De La Cruz
Matt Nolan
Zilco
Azco
Tasco
Arborea
Zengian
Zanki
Vibra
Avanti
Rancan
Avatar
Wuhan
Stagg
Rodgers
Pearl
Adam
Biscyane
Tongxiang TK
Camber
Cosmic
Kaman
CB

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Comdef Rio


















Andrei Bastos e Isabel Maior lideraram o encontro - Agência O Globo

Pessoas com deficiência debatem mais inclusão
Evento no Rio lembrou ativistas históricos e fez o alerta: toda a sociedade ganha com melhora na acessibilidade

POR EDUARDO VANINI
18/07/2014 6:00

RIO - A luta pela inclusão da pessoa com deficiência deve ser de toda a sociedade. Esse foi o mote de um encontro que relembrou a história de movimentos políticos pelos interesses desse grupo e discutiu novas causas, nesta quarta-feira, no Midrash Centro Cultural, no bairro carioca do Leblon.

Liderado pela ex-secretária Nacional de Promoção dos Direitos e da Pessoa com Deficiência, Izabel Maior, e o presidente do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Rio (Comdef-Rio), Andrei Bastos, o evento começou com a exibição do documentário “História do movimento político das pessoas com deficiência no Brasil”, de Aluizio Salles Junior.

A sessão, que contou com recursos como interpretação em Libras, legendas e audiodescrição das imagens, mostrou personagens que marcaram a história da luta pela inclusão no Brasil. Mas a celebração de conquistas também mostrou que a luta não pode parar.

— Não queremos que a fala dessas pessoas se perca. Mas também precisamos lembrar como ainda há muito a ser feito. As novas gerações precisam continuar com essa história — pontuou Izabel. — E essa luta tem que ser de todo mundo. Afinal, qualquer pessoa pode precisar de um serviço adaptado em determinada fase da vida. Por que só cegos e cadeirantes têm que pedir calçadas melhores? Quem nunca teve um problema com calçada?

NO FOCO, OS GRANDES EVENTOS

Ao mencionar temas atuais que merecem atenção, Izabel lembrou que a “bola da vez” são os grandes eventos, cujo legado precisa ser acompanhado no que toca à acessibilidade. Outro ponto destacado foi a empregabilidade.

— Ainda há a visão de que o deficiente físico gera improdutividade. Isso é errado. Essas pessoas já estão na faculdade e concluem seus cursos com bons resultados — pontuou.

Andrei destacou a necessidade de ampliar o foco sobre uma educação infantil mais inclusiva.

— Se os adultos ainda são invisíveis, com as crianças é muito pior — comparou. — Além disso, com adultos, que são pessoas já formadas, é muito mais difícil combater o preconceito. Se ensinarmos às crianças da maneira correta, teremos uma geração de brasileiros livre do preconceito.

 
ANDREI BASTOS
Presidente do Comdef-Rio
(21) 99977-4276 (Vivo) / 98948-1374 (Oi)
Av. Pres. Vargas, 1997, 2º andar

terça-feira, 15 de julho de 2014

site BATERIA BRASIL. com


15-07-2014

uma grande honra amigos! Grande honra Aristides e Cidrak por fazer parte desta Familia. 

Um excelente site com boas dicas, matérias e um Forum muito bacana, tranquilo com todos contribuindo para o engrandecimento do mundo Bateirístico. O meu abração à todos e não desistam nunca. 

NUNCA DESISTAM de SEUS SONHOS ....
keep drumming Man.



















sábado, 12 de julho de 2014

Fim da Copa 2014 para o Brazil



É ridículo ver a cara de Brazilleiros chorando neste final de partida, um quarto Lugar bem merecido.

Certo mesmo será o nosso CHORO com os desdobramentos nefastos de tanto dinheiro publico jogado fora numa festa em que eu vc vamos pagar a conta: 
A TAXA é NOSSA !!!

E não precisa ir muito longe pra sentir isso: basta ir ao Supermercado comprar o pão nosso de cada dia. 

O que se espera da Classe Politica, são muitas promessas e nós como povo sequer temos um cadidato menos RUIM pra votar.

Esta é a realidade que nos espera!!! 
E PASMEM se ainda não implantarem o COMUNISMO TOTALITARISTA nessa bagaça!!!

God bless us!!!

sexta-feira, 11 de julho de 2014

FACEBOOK


FACEBOOK NÃO TEM SIDO um LOCAL SADIO. 

A sensibilidade do emocional faz com que a genti fique indignado com as injustiças do ser humano, este "animal" dos mais aterradores.

Copa do "imundo", PT, Politicos, Puliça, israel x Palestina, crianças mortas, etc .... Maioria das postagens são NEGATIVAS. 

Não há muita coisa boa pra se compartilhar. 

Eu ando muito PREOCUPADO com o meu próximo!!! e mesmo que vc tenha me agredido sem perceber, já tem o meu perdão, porque eu sou nada aqui neste mundo!!! 

Nas Redes Sociais eu falo da minha Música, da minha batera, da minha História de Superação, meu apoio aos Def. Físicos e de vários assuntos da Vida. Alí eu gosto de fazer as pessoas conjecturar PENSAR, pois existem Leis que não são Leis Humanas. 

São as Leis de Ação e Reação X Causa e Efeito!!! Leis Divinas certamente!!!

Agora imbecilidade é outra coisa, e por esta razão é melhor DELETAR, BLOQUEAR, desligar tudo e pegar uma boa AULA de MUSICA, um Clip, um passeio com a dona Maria, e um abraço.

Vamus AREJAR a CUCA, meu amigo(miga). PAZ e LUZ, Tulio. 
F u i i i i i i  ......

Israel X Palestina


FONTE: http://leandrouchoas.com/12-coisas-que-voce-provavelmente-nunca-ouviu-falar-sobre-o-massacre-ao-povo-palestino/


NEM TENHO CORAGEM DE POSTAR AS FOTOS - é uma situação terrivel, covarde, injusta!

Por Thiago Ávila
1 – Apenas no primeiro dia deste novo massacre (julho de 2014) foram realizados 273 ataques aéreos (cerca de 11 por hora) em uma área com 40 km de comprimento por 12 km de largura povoada por 1,7 milhão de pessoas (uma das áreas mais densamente povoadas no mundo). Imaginem a catástrofe que é uma área do tamanho do Plano Piloto de Brasília com uma população tão grande assim e recebendo um pesado bombardeio aéreo a cada 6 minutos. A estimativa dos hospitais é que ficarão sem recursos para atender os feridos em dois dias. A eletricidade é intermitente e não existe qualquer indicativo de que Israel parará o massacre, apesar dos pedidos de diversas nações do mundo.
2 – Embora o Acordo de Paz firmado em 1948 entre a Palestina e Israel (país que estava sendo criado naquele momento) garantisse a divisão quase igualitária do território entre estes dois países (55% para Israel e 45% para a Palestina), desde 1967 (ano da Guerra dos Seis Dias), Israel ocupa ilegalmente os territórios palestinos, restringindo cada dia mais seu tamanho. Ainda no ano de 2012, Israel ocupava 78% do território e este número não para de crescer. Cada dia que Israel permanece e avança sobre os territórios palestinos ocupados é uma afronta aos Direitos Humanos e ao acordo internacional que poderia trazer finalmente paz para aquela região.
3 – A ocupação israelense é seletiva, tomando dos palestinos as terras férteis, com acesso a água e recursos naturais, inviabilizando qualquer chance de subsistência ou desenvolvimento soberano. Hoje os territórios palestinos dependem de Israel para ter acesso a tudo (água, energia, alimentação, telecomunicações etc.). Israel tomou o peixe do povo palestino e lhes proibiu de pescar.
4 – Todo tipo de ajuda humanitária precisa passar antes por Israel, que proíbe visitas de ativistas de Direitos Humanos e pessoas interessadas em diminuir a dor dos palestinos. Existem casos de ativistas que morreram tentando impedir a derrubada de casas palestinas em locais que estavam sendo invadidos por Israel. O caso de Rachel Corrie, que foi atropelada a sangue frio por um trator que destruía casas palestinas em áreas que estavam sendo tomadas por Israel, é emblemático. Em 2012, um tribunal israelense foi isentado de qualquer culpa no assassinato, alegando culpa da vítima e não do soldado que assumiu o controle do trator após o trabalhador que o operava ter se recusado a passar por cima da jovem militante.
5 – A Faixa de Gaza está no litoral do Mediterrâneo. No entanto, não é possível enviar ajuda pelo mar para o povo palestino, pois Israel proíbe. Em 2010, um corajoso grupo de onze ativistas de Direitos Humanos de diversas partes do mundo (incluindo uma vencedora do prêmio Nobel da Paz, Mairead Corrigan, uma das poucas premiadas que realmente merecia tal honra) conseguiu um navio para levar comida e materiais escolares para a Faixa de Gaza pelo mar. Embora o navio, batizado de Rachel Corrie, já tivesse sido inspecionado pela ONU e por autoridades iraquianas, com pedidos do governo irlandês para que não fosse interceptado, foi tomado violentamente por Israel, que impediu sua chegada, prendendo e deportando toda a sua tripulação. Não foi a primeira nem a última vez que isto aconteceu, envolvendo casos de assassinatos de ativistas nas invasões e tomada dos barcos.
6 – Para garantir que o povo palestino não fuja ou tente recuperar suas terras definidas pelo acordo de 1948 da ONU, Israel construiu um muro ao redor da Faixa de Gaza. É isso mesmo: a Faixa de Gaza é cercada por fora por Israel através de um muro blindado de 5 metros de altura apelidado pela comunidade internacional de “Muro da Vergonha”. Ele mantém os sobreviventes da Faixa de Gaza em uma prisão sem teto que lembra muito o Gueto de Varsóvia, local onde os judeus poloneses eram colocados pela Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial e lá sofriam as mais duras violações de Direitos Humanos. Infelizmente, Israel faz hoje como o povo palestino algo muito parecido com o que fez a Alemanha nazista durante o holocausto. No entanto, no caso deles, a resistência judaica no Gueto de Varsóvia é tratada como algo heróico e lembrada na história, nos livros e nos filmes. Hoje, a resistência palestina é tratada como terrorismo e usada como justificativa para mais e mais atrocidades por parte do Estado de Israel.
7 – Imagine que quando você quer viajar, ou quando avalia que as condições em seu país estão difíceis, você pode ir a outro país e retornar ao seu quando quiser. Pois esta não é uma opção para os sobreviventes da Faixa de Gaza. Pelo contrário, Israel busca de todas as formas que o povo palestino abandone seu país e vá para campos de refugiados em outros países, pois, uma vez fora, o Estado judeu não os deixa mais retornar. É uma verdadeira crise humanitária, pois milhões de famílias estão separadas há gerações, sem nenhuma perspectiva de algum dia se reunirem de volta em seu país de origem. A negação do direito de retorno é uma das grandes violações do Estado de Israel perante o povo palestino.
8 – Israel é o país que mais recebe “ajuda militar” dos Estados Unidos desde o final da Segunda Guerra Mundial, com uma média de 1,8 bilhão de dólares anuais. Desde o seu nascimento, Israel se consolidou como um dos mais poderosos e destrutivos exércitos do mundo (a quarta maior potência, segundo a maioria dos especialistas). Apesar de seu elevado potencial nuclear (e sua propensão às agressões e conflitos), Israel se recusou a assinar grande parte dos tratados internacionais que envolvem não-proliferação de armas nucleares, utilização de armas que causam danos a civis, entre outros desrespeitos aos Direitos Humanos mais básicos.
9 – Ao contrário do que dizem, não foram os árabes que “inventaram” o terrorismo como ferramenta de luta. Pelo contrário, o ataque indiscriminado a alvos civis para causar terror foi algo muito praticado pelos judeus entre 1910 e 1950. No entanto, enquanto movimentos populares, partidos políticos e grupos de resistência árabes são condenados por unanimidade pelas potências ocidentais (que também praticam suas violações de Direitos Humanos ao redor do mundo), os movimentos terroristas judaicos (tratados na história hoje como heróis) tinham total apoio dos Estados Unidos e do Reino Unido com armas, logística e equipamentos. Apoio, aliás, que os governantes israelenses violadores dos Direitos Humanos atuais também possuem.

10 – O lobby israelense para invisibilizar o povo palestino e seu país é tão poderoso que conseguem manter o país ocupado quase como sendo um não-país. Tanto é que a Palestina passou 64 anos desde a criação de Israel para ser reconhecida finalmente em 2012 como “Estado observador” da ONU. E esta mera aceitação como observador foi motivo de revolta de Israel e dos Estados Unidos, que ameaçaram parar de contribuir com o orçamento da ONU após perderem a votação por 138 votos a 9 (votações parecidas com as que demandam o fim do bloqueio econômico a Cuba por parte dos Estados Unidos, até hoje não cumprido). Apesar do ínfimo avanço, a Palestina vergonhosamente ainda não foi reconhecida como membro pleno da ONU, que não tem qualquer poder para parar Israel e suas sucessivas violações dos Direitos Humanos.
11 – Israel utiliza em suas agressões militares armas que foram proibidas pela ONU como o fósforo branco. Desde 2006, quando tentou invadir o Líbano e foi derrotado pelo Hezbollah (“Partido do Povo”, em árabe), crescem as denúncias de que o exército estaria utilizando estas armas em locais densamente povoados, causando terríveis efeitos sobre a população civil.
12 – Outra prática vergonhosa e muito utilizada por Israel e outras potências imperialistas são os auto-atentados, ou seja, provocar ou simular um incidente para que ele seja utilizado como justificativa para ataques a outras nações ou grupos. Esta tática para garantir apoio popular local e internacional foi muito utilizada na história deste país. Basta lembrar do caso de 2006, onde foi divulgado que um “cidadão israelense”, Gilad Shalit, havia sido sequestrado pelos terroristas do Hamas na Faixa de Gaza, dando início à Guerra em que Israel matou milhares de civis, tomou diversos territórios palestinos na Cisjordânia e tentou tomar o Líbano! Depois não tiveram como esconder o fato de que Gilad Shalit era um soldado israelense, infiltrado no território palestino para espionar e divulgar a localização de lideranças do Hamas (partido eleito democraticamente para o governo da Faixa de Gaza) para bombardeio às suas casas posteriormente.
Espero que isto forneça a alguns elementos para ao menos desconfiar cada vez que ouvir da mídia hegemônica que “terroristas palestinos atiram míssil contra Israel” ou, “conflito entre Palestina e Israel deixa tantos mortos”. Gaza não tem exército, força aérea ou marinha. Israel é a quarta potência militar do mundo. A resistência à ocupação é permitida pelo direito internacional. A ocupação de Israel, o cerco e a punição coletiva de Gaza, não.
Nunca esqueça que o que acontece naquele lugar é um verdadeiro massacre a um povo. Uma mancha na breve história da humanidade que precisamos remover e reparar para que possamos finalmente viver em paz com justiça social e fazer desta Terra a Pátria do ser humano e da natureza.
ALGUNS COMENTÁRIOS:
Vejo tudo isso com muita tristeza. Não consigo aceitar, penso nas crianças, nos velhos, nas mulheres. Todos somos irmãos. Reflitam e tenham compaixão, a dor que você sente, todos sentem. Somos todos iguais nesta estrutura de sangue.
O que o mundo assiste hoje "de forma OMISSA" é um HOLOCAUSTO do século 21! Os Judeus teve suas tristes lembranças com os nazistas. Hoje, ela transforma essa dor, nas mesmas barbáries que sofreram! Tudo isso,com o apoio completo dos YANKEES...
Realmente é muito triste e lamentável ver que um estado criado para abrigar um povo que sofreu tanto nas mãos dos nazistas tenha um comportamento tão parecido com seus algozes pretéritos.
Parece-me uma versão pós-moderna dos piores filmes de guerra, pena ser repetição de um realidade cruel e desumana.
Todo nosso apoio aos palestinos e que o mundo se manifeste contra essa barbárie insana promovida pelo Estado de Israel e seu principal financiador: os EUA.

terça-feira, 8 de julho de 2014

outubro 2014 - novo álbum? Pink Floyd?


outubro 2014 - "The Endless River" novo álbum do Pink Floyd???

Rapidamente a notícia se espalhou: o que sobrou do Pink Floyd (ou seja, David Gilmour, basicamente) está preparando um novo álbum para ser lançado em Outubro deste ano.

Não, nada de composições fresquinhas, nada disto – embora esteja sendo tratado como um “disco de inéditas''.  O que está sendo cozinhado são sobras de estúdio do já bem meia-boca “The Division Bell'', lançado em 1994.

A desculpa para se reaproveitar o material parece ser nobre: são gravações feitas por Rick Wright, tecladista morto em 2008. Apenas parece, mas não é – o material não serviu (ou não atendeu) aos interesses da banda à época. Se não servia antes, por que agora passaria a servir?

É claro que os fãs do velho dinossauro irão comprar este caça-níqueis e, se houver alguma turnê, irão correr para garantir seus ingressos e encher o já bem fornido cofre de David Gilmour. Mas a questão que fica sempre é: precisamos de um novo álbum do Pink Floyd? A resposta é clara: não, não precisamos. Para quem é fã (ou para quem não conhece), melhor se concentrar na melhor fase da banda, que vai até o início dos anos 70. Artisticamente, muito melhor e sai mais barato.


quarta-feira, 2 de julho de 2014

amputee drummer - Tulio´s English Biography



BIOGRAPHY

Name: Tulio Fuzato Born: June 16th, 1957 in Rio de Janeiro, Brazil
Amputee Drummer (both legs: AK - BK)

STYLES & INFLUENCES:

Ian Paice - Deep Purple, 
John Bohan - Led Zeppelin, 
Don Brewer - Grand Funk Railroad,
Lee Kerslake - Uriah Heep. 

HISTORY: 

I came from a very musical family. 
My father played guitar and my mother sang. I grew up listening to the Beatles and Hendrix, but my passion was the CLASSIC ENGLISH HARD ROCK such as Deep Purple, Led Zeppelin, Black Sabbath, Uriah Heep, Grand Funk Railroad, etc... But I confess that I also loved PROGRESSIVE ROCK BANDS such as Genesis, Pink Floyd, Yes, ELP, Jethro Tull, and European Bands such as Eloy, Nektar, Jane Le Orme, PFM, and others.

Since I was 15, I learned to play guitar with my father, but I always loved the swing, rhythm, and the power hit of a drum.

I didn't start playing drums until 1982 when I was 25 years old.

After I got married, I started with music at night, while being a graphic designer by day.

I became a double leg amputee in July, 2003.

Like alot of people, I had lost my job, ended a relationship, and went into depression. 
I had rent to pay, and lots of difficulties, including health problems; but I didn't seek help. 
I had very low self-esteem and at this time I was battling an addiction to barbituric: (anti-depressants and tranquilizers).

I ended up in a terrible accident with a train and as a result, had to fight for life against death, good against evil, and an attempt at daily self-will.

Fortunately, this kind of amputation allowed me to still play the drums relatively easy with the use of prosthetics.

With prosthetic Legs I can still take control of my bass drum pedal.

I discharge the right knee weight on the bass drum pedal and allow a very tight spring tension to give me immediate return and rebound.

I also use a toe-stop in order to keep my foot centered on the pedal.

The hi-hat, however, I have no control over due to my left leg and knee have a contracture and it can't bend completely.

I use the hi-hat in two positions, either open or closed completely. 
I want to show through my story, the human beings ability to get overcome any obstacle.

To overcome them and be back on his or her feet after a tragedy which may happen to any of us.

I also want to show how much music can be a wonder possibility to all of us and how in my case, it ultimately made me decide to take action.

"Determination" is my motto.

I hope that my example gives inspiration to those who may have lost hope in life.

BE AWARE THAT YOU HAVE LOST A LIMB, HAD A PART OF YOUR BODY AMPUTATED, BUT YOU HAVEN'T HAD YOUR HEART AND YOUR LOVE FOR LIFE, YOU HAVEN'T HAD YOUR INTELLIGENCE, FEELINGS, SKILLS, YOUR MUSICALITY AMPUTATED BECAUSE EVERYTHING IS VIBRATION.

I got here; and you will be able to much more: believe!!!

Until the Lord brought me here!!!

"God gives us each day a page of new life in the book of time. What we write on it, it's up to us". Emmanuel ............

TULIO´S DOCUMENTARY

A history of overcoming challenges through Music