quinta-feira, 9 de julho de 2015

TENDINITE de BATERISTA




















FONTE BLOG ODERY DRUMS - http://odery.com.br/o-calcanhar-de-aquiles-dos-bateristas-a-tendinite/

Assim como dores nas costas muitos músicos convivem com a temida tendinite, o problema é que muitos músicos tem o pensamento comum ao ser humano “Isso nunca vai acontecer comigo” ou por se achar jovens para ter qualquer tipo de problema físico negligenciam o próprio corpo praticando horas de estudo de bateria, shows sem o devido preparo.

Tocar bateria é comprovadamente equivalente a prática de exercício físico e assim como nessa prática é necessário que a pessoa esteja preparada, tocar bateria também e embora 99% saibam quais exercícios deveriam fazer com aquecimento e alongamentos, muitos não o fazem.

A tendinite é uma inflamação no tendão, nos bateristas geralmente acometem mais os membros superiores, principalmente os tendões dos músculos que movimentam os punhos, os cotovelos e ombros. É uma dor que pode se iniciar apenas no esforço físico porém, não tratando ela evolui chegando a irradiar para outras partes do braço, podendo inclusive causa inchaço, formigamento, dormência e consequentemente diminuição da resistência e força muscular.

Ninguém quer passar por isso não é mesmo? Até mesmo porque isso geralmente significa ficar de “molho” por um tempo, como conta o baterista Alexandre Cunha quando sofreu de tendinite:

“Quando eu tive tendinite precisei praticamente parar de tocar por um ano, não podia estudar e tocava o mínimo possível. Demorou cerca de dois anos pra voltar a minha rotina normal, pois a dor já estava marcada no meu psicológico não sentia vontade de tocar por medo de sentir aquela fraqueza e dor nos músculos novamente. Depois da tendinite comecei a fazer RPG, que melhorou muito a minha postura e fez diminuir o número de crises, pois uma vez com tendinite, sempre há possibilidades de novas crises.

A dica que dou para os bateristas é buscar um equilíbrio, mesmo tocando mais de sete horas por dia, tirar pelo menos trinta minutos por dia ou um dia da semana pra se dedicar a algum esporte e manter um bom condicionamento físico, pois o nosso corpo é a nossa ferramenta de trabalho.”

Para que o risco de ter um problema com tendinite seja diminuído, o músico (mesmo aquele que toca somente em casa) deve ter alguns cuidados como conta pra nós o profissional Danilo Romera de Oliveira, Especialista em Bioquímica do Exercício pelo UNICAMP:

O alongamento e o aquecimento são conceitos diferentes que devem ser executados em momentos distintos. Antes de tocar o mais adequado é o aquecimento, já que aumentará a temperatura do músculo, preparando os tendões para que não fiquem “frouxos”, ativa o sistema nervoso para que faça contrações mais assertivas sem dispender energia contraindo músculos desnecessários, evitando assim, a contração de músculos não preparados para a ação.

Já o alongamento deve ser empregado na fase final, após a prática do instrumento, deve-se então, relaxar a musculatura, acionar mecanismos de descontração, auxiliando assim na recuperação do tecido lesado.

Uma melhor recuperação pode ser acelerada com devido treinamento resistido e aeróbico. Logo, o treinamento resistido fortalecerá as fibras musculares possibilitando mais movimentos e estes, melhores coordenados, aumentando o seu nível de profissionalismo. No entanto, apenas exercícios de fortalecimento não são suficientes já que a prática do baterista é intensa se faz então necessário um bom condicionamento aeróbio para facilitar na recuperação pois necessita de maior oxigenação em seu organismo para eliminar enzimas (LACTATO) que provocam as dores, estas serão eliminadas pela respiração em forma de CO².

Tudo isso aliado a uma boa dieta contendo os principais insumos como carboidrato e proteínas.

Sabe-se que muitos músicos trabalham até altas horas e dessa forma não se permitem o devido descanso para si e para os músculos. Durante o sono, nosso organismo produz hormônios que tratarão exclusivamente na regeneração do tecido lesado e isso é de suma importância para a manutenção de dores e prevenção de lesões, no caso a tendinite uma delas.

Não estou sugerindo para se matricular imediatamente na academia, nem mesmo que tenha que realizar tudo todos os dias, mas o ideal é que seja de forma sistêmica evitando intervalos muito prolongados sem a realização dos mesmos.

Sugestões:

– Aquecimento antes dos Shows/Práticas;

– Alongamento após os Shows/Práticas;

– Shows/Práticas mais intensas devem ser acompanhadas no dia seguinte apenas um trabalho aeróbico aliado a alongamentos;

– Se passou mais de 18 horas sem Shows/Práticas está na hora de executar os exercícios resistidos, mais leves se houver um evento no dia ou mais pesado se houver evento só no dia seguinte;

– Alimente-se após os treinos;

– Durma bem!!! Mesmo que seja por algumas horas.

Um comentário:

  1. Muito bacana. Tulio Fuzato é cultura e doação ao próximo. abs FdSG

    ResponderExcluir