segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

FELIZ NATAL 2017?


QUE NATAL hein???

Céus??? e ninguém faz nada???

Uma tristeza ver o que as famílias dos funcionários estaduais estão passando. Junto com a situação financeira, há um elemento ainda mais grave: o fator emocional. Quantos funcionários já não estão adoecendo emocionalmente, psicologicamente? Quantos servidores aposentados? Eles não têm como pagar suas contas, aluguéis, alimentação, remédios. Quantos não estão em extremo sofrimento diante da vergonha de se tornarem devedores, inadimplentes, sem nada poderem fazer? Quantas vítimas de infarto, etc., gente que trabalhou e gente que ainda trabalha, sucumbindo ao desgosto ou ao agravamento de uma doença crônica? É preciso sempre lembrar a todos como está a situação: 
São 4 MESES SEM RECEBER O SALÁRIO! Até o momento, também sem a primeira metade do 13° salário de 2017, que, por direito, deveria ter sido pago em meados de julho. E pior: o 13º de 2016 sequer apareceu.

Impossível continuar assim... não dá mais!!!

É revoltante ver a situação calamitosa que meus amigos funcionários do Estado do RJ estão atravessando.

Céus??? e ninguém faz nada???

Conheço pessoas que estão pensando em si matar.

OBS: se fosse comigo eu não pagaria contas e nenhum tipo de encargo ou imposto! Se a Light viesse à minha casa cortar energia certamente o Funcionário sairia morto eletrocutado, digo torrado! 

Alguém tem que fazer algo com suas próprias mãos! 
Esse País nunca enfrentou uma Guerra!!! 
Tire como ex: a EUROPA! 
Lá ou vai ou racha! aqui somos um povo cuzão! isso é uma desgraça! algo sufocado pela mídia!
O brasileiro é um povo sem ALMA sem CÉREBRO! Povo Pacífico e muito Festeiro: Os Politicos sabem disso!

Em um outro País Sérgio Cabral, Pezão, Lula, Dilma, Aécio, Collor, dentre outros seriam enforcados em praça publica! ou LINCHADOS pela população enfurecida!

domingo, 10 de dezembro de 2017

Bill Brufford

de: Amyr Cantusio

Entre os melhores e mais bem conceituados bateristas do mundo do séc. 20 está com certeza William (Bill) Bruford.

Dono de uma técnica impecável, absoluta e personalizada, Bill tocou com 3 das maiores bandas do mundo “Progressive Rock” a saber: YES, GENESIS e KING CRIMSON.
Mas tanto na minha opinião (como na de Bill) o King Crimson é seu local ideal.

Abaixo algumas informações pelo próprio Mestre das baquetas!

1- Conte-nos um pouco sobre trabalhar com o Yes, King Crimson, Genesis:

Bem, eles eram os mais conhecidos das várias bandas pelas quais viajei nos meus anos formativos, então foi neles que comecei a forjar um vocabulário musical. Eu sabia desde cedo que queria diferenciar-me dos outros no instrumento, mas demorou um pouco mais a perceber que eu poderia diferenciar a música em que minha jogada era ouvida escrevendo uma parte ou a minha própria. King Crimson era um bom lugar para esse negócio de criatividade. Parecia estar em um estado permanente de evolução - exatamente como eu gosto!


2- Você pensou em ser um baterista de Jazz?
Eu cresci com o jazz, desenvolvendo um toque leve e uma inclinação para mexer com a música, para ver o que poderia fazer e para ver o que eu poderia fazer dentro dele. Eu sempre pensei que seria um baterista de jazz, mas eu caí no Rock, um gênero que no Reino Unido em 1968 abrangeu um conjunto de oportunidades muito mais vibrantes do que uma cena de Jazz, que é particularmente politizada e atonal. Não mudei muito o meu estilo, acabei por aprender a tocar um pouco mais alto. Claro, que por aí, irrita muita gente (RISOS).
Às vezes, os músicos terríveis eram uma forte influência negativa, e muitas vezes os não-bateristas eram uma forte influência positiva. Então, fui influenciado por Miles Davis para um determinado estilo, assim como David Bowie, porque eles sempre estavam em movimento e nunca deixariam sua audiência sentar ou ficar apática, muito inteligente - e os Rolling Stones, que simplesmente pareciam terríveis (RISOS). 
Entre os bateristas, fiquei paralisado pelo jazz, principalmente dos U.S.A., na TV britânica dos anos sessenta. Então cresci no meio de todos os grandes músicos: especificamente, Max Roach pela economia, graça e melodia; Joe Morello por medidores ímpares; e Art Blakey para o som e o groove.

3- O que você acha da música hoje?
Tem tanta música rolando, estilos, e repetição nos últimos cinquenta anos que quase não consigo entender tudo, e, como um homem de frente para um prato cheio, meu apetite está saciado. 
A fim de não provar nada, as três peças de música a que prestei mais atenção nos últimos dias foram:
1-) 'Squib Cakes' Tower of Power 1974; 
2-) 'Wichita Lineman' Peter Erskine-Alan Pasqua Trio 2009; 
3-) 'Blackstar' do David Bowie /2016. 
Em geral, meu desejo de ouvir está diminuindo. Não sou uma boa companhia em um show . Se a música é boa, eu quero tocar!. Se não for, eu quero cair fóra!.

4- Por que você deixou o YES depois de tocar com eles em seus primeiros cinco álbuns?
Quatro razões principais, penso: 
primeiro, não estava prestes a passar nem perto de um “Close to the Edge” novamente. Tinha demorado três meses para fazer aquela música, que não seria capaz de melhorar! Este esforço com esse grupo de pessoas (músicos do Yes) não me acrescentou nem evoluiu em nada.
Em segundo lugar, eu só tinha tocado com esses quatro músicos na maioria da minha curta carreira musical, quatro anos e meio nesse ponto, e estava me desesperando para me ouvir em algum outro contexto. Nunca compreendi que, depois de alguns sucessos, músicos de rock deveriam se atrofiar, se tornar um deboche público, e depois parar. 
Em terceiro lugar, King Crimson apareceu (e foi minha salvação). 
Em quarto lugar, não aguentei mais o Chris Squire. A forma mais grosseira de insultos que qualquer músico pode conferir a um colega é mantê-lo esperando. E isto já se passou a quase meio século atrás, prefiro esquecer.

5- Qual é a banda com a qual você gostava de trabalhar mais? Por quê?
No rock, sempre gostei do King Crimson; no jazz, o Earthwork. Posso colocar um potencial de criatividade em uma situação de "diversão" e "prazer" quando estou procurando um lugar para estacionar minhas baquetas por um tempo e fazer algumas baterias. King Crimson sempre foi muito inventivo, e gastei muito de meu tempo nele ! Não acho a música particularmente fácil, e tenho inveja daqueles músicos que tocam e criam simplesmente como você derruba um copo de água. Tantas opções, tantas possibilidades! Quando você está trabalhando com pessoas do calibre de Robert Fripp, ou Laurie Cottle, Gwilym Simcock e Tim Garland na minha banda Earthworks, a música simplesmente voa e eles fazem tudo parecer bom. Então, Earthworks e King Crimson e, quando eu era muito mais jovem, o “YES”, eram todas bandas emocionantes para mim. Mas o King Crimson sempre foi a minha banda.




























sábado, 2 de dezembro de 2017

Tempo passa!


01 de dez. 2017.
Exatamente há um (1) ano atrás (01-12-2016), 
eu participava de um encontro de bateristas Gospel algo tipo "Drum Workshop for Jesus".
Fui levado pelo meu amigo batera Leandro Cunha, garoto bom que sempre tem me ajudado como Roadie: um Cristão com grandioso espírito de servo!

segue abaixo os 2 clips com descrição:

Tulio Fuzato, the amputee drummer at Drum Workshop for Jesus! 
ENCONTRO de BATERAS GOSPEL em Rio do Ouro RJ - BraziL.
Muito grato Leandro Jac. Oliveira, 
Paulo César Pinto, 
Meu batera Samucaaaa, 
Leandro Cunha (meu Roadie), 
Leonardo Rocha, 
Ks Drums (Kácio Macedo), 
Wesley Rodrigues e toda a turma do GOSPEL GROOVE! 
Foi algo Bárbaro alto nível galeraaaa.
01 dez. 2016
ACCESS: A history of overcoming challenges through Music - http://youtu.be/xwOsLCpAnwI



























quarta-feira, 22 de novembro de 2017

DIA do MÚSICO?


22 de nov. 2017
FELIZ DIA do MÚSICO???
Chegou a hora deu vender tudo desistir de ser Músico! Tocar meus keyboards Prog em casa pra mim mesmo e NADA mais!!! Depois disso até um cachorro bem treinado pode virar Músico - Céus eu sei que quem não é MUSICO vai amar este clip da TV bôbo mas ver Regina Casé num contrabaixo é o FIM da PICADA. Pára o BraziU que eu quero descer ahahahaha essa bagaça vai dar o maior IBOPE putz??? e que não sabe nada de Música vai adorar  mais essa bosta da TV bôbo http://www.otvfoco.com.br/globo-colocou-elenco-para-tocar-em-nova-vinheta-de-fim-de-ano-assista/



domingo, 19 de novembro de 2017

ILLUSION the band


Jane Relf & Keith Relf (RENAISSANCE ILLUSION).
Uma GRAVAÇÃO e MASTERIZAÇÃO absurdas!!! 
Essa banda, esses músicos! quanta PERFEIÇÃO e que arranjos LINDOS impecáveis comoventes!

Eu sou MÚSICO e sei o que eles estão fazendo em termos de harmonia e melodia!!! 

REALMENTE tem faixas comoventes que mexem com você e você chora baixinho rsrsrsrsrs puro FEELING de arrepiar! 
E VIVA O PROG. FOREVER ouça 18:00

Essa banda é PERFEITA dimais! eu vou ao Céu com esse SOM passagens dramáticas, comoventes, sublimes!!!

No youTube está com um som legal mesmo sendo MP3 mas o VINIL tem uma MASTERIZAÇÃO ABSURDA!!! 
Um som muito puro LIMPO tudo extremamente de bom gosto e bem produzido e veja bem preste atenção: a bateria está bem presente mesmo nas músicas mais calmas.













































quinta-feira, 16 de novembro de 2017

IMPOSTO de RENDA

PROTESTOS???? GREVES??? abraçar a Lagoa, panelaço, vem pra Rua???? intervenção Militar???

Você quer detonar com a classe POLITICA??? 

É simples: vc declara imposto de renda mas não paga as DARF´s.

Se todos os Brasileiros fizerem isso a nação pára!!! e decorrente disso, devido ao acúmulo de processos na Receita Federal, nem o computador da NASA resolveria, pois as ações de execução levariam anos com o estrangulamento do sistema! 

Isso que é feito com nossas ações civís que ficam mofando anos à Fio na justiça e vc ganha $$$ mas num léva $$$ ....... 

A desobediência CIVIL é um caminho para rechassar o sistema! NÃO CONFUNDA COM ANARQUIA e quebrar patrimônio dos outros!

Quer outro exemplo??? 
A putaria da VISTORIA do DETRAN só no Rio??? porque??? sabe porque???? porque existe toda uma estrutura de cabide de emprego e lavagem de dinheiro!

Então se todos os motoristas trafegarem na Rua sem pagar o IPVA não haveria POLICIA pra autuar todos os milhões de não pagantes!!! 

Outra coisa POVO BURRO IMBECIL se eu sou aposentado servidor público sem receber salário é direito meu deixar de pagar todos os impostos e empurrar isso pra até 2.099. 

Nós somos um povo pacífico, bôbo, obediente com os encargos, impostos e estamos sendo roubados! 

A impunidade e a corrupção fizeram o dinheiro sumir e pra consertar o rombo quem paga é vc e eu juntos!!! 

Gasolina, energia elétrica só dois exemplos de onde eles arrancam pesados tributos e vc só vê estradas esburacadas, Lixo de Escolas, gente morrendo, acorda BraziL vamos deixar de pagar os impostos vamos sonegar! 
só isso por sí só faria a classe Politica recuar .... 
Eles não teriam daonde arrancar dinheiro! 

Entenda que é o povo (eu e vc) que paga por tudo nesta Nação! Não entre nesse papo besta de SOCIALISMO! Ninguém neste mundo vai te dar algo de graça! Estamos pagando um preço muito alto pelos mal serviços prestados.

BRAZIL BRAZIL: É ter muito mais que dar do que receber ---- Zé Ramalho ----
















terça-feira, 14 de novembro de 2017

Relações?

Relações humanas são tão firmes e fortes quanto fio de cabelo de bebê.

São tão fundamentais quando os sonhos de uma formiga levando um folhinha ao formigueiro.

São tão assustadoras quanto o voar de uma borboleta.

São tão afetivas quanto um hipopótamo tirando o pó do criado-mudo.

São tão relaxantes quanto um furacão com TPM. 

São tão puerentas quanto as gosmas deliciosas que fogem dos intestinos de todos nós.

São tão potentes quanto o eco esgarniçado de uma joaninha decapitada ao luar.

São tão atarracadas quanto sonhar e sonhar e sonhar.

FONTE do site: http://www.vidaescrita.com.br/ Oscar Silbiger

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

VALIOSO TEMPO


O VALIOSO TEMPO DOS MADUROS ....

“Contei meus anos desde 1957 e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora. 

Tenho muito mais passado do que futuro.

Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas. 

As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.

Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados. 

Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.

Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.

Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.

Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral. 

As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos.

Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa.

Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade, quero caminhar perto de coisas e pessoas de verdade.

O essencial faz a vida valer a pena. 

E para mim, basta o essencial!"

Mário de Andrade



domingo, 29 de outubro de 2017

vida de batera!


ONTEM OCORREU UM TROÇO ESCROTO COMIGO 40 ANOS DE PRAIA.
Vai aqui o desafabo do velho batera, mas por uma questão ética não é necessário citar o nome da banda e muito menos das pessoas:

Senta ki Lá vem História: 

Amigos eu estou DECLINANDO do Projeto! 
Peço desculpa se tomei o tempo de vocês!
Mas é ABSURDO a banda resolver o que vai ser tocado na bateria com um baterista de verdade sentado no drum-kit esperando vocês decidirem o que é melhor: se é o Hi-hat??? ou se é o Ride???. 
Queimamos 2h de ensaio pra testar a batera de duas ou três Músicas????
Isso pra quem não sabe o que fazer na bateria é até viável, mas no meu caso são 40 anos de praia! eu sei muito bem o que vou fazer no meu instrumento! o batera sou e não vocês!!! Ademais o som proposto é bem simples bem minimalista! NÃO HAVERIA razão de tanto preciosismo! porque ouvindo os originais não tem nada difícil ou complexo! Acho que qualquer baterista principiante sob o comando de vocês tocaria perfeitamente! mas ... NÃO É O MEU CASO! 
Experimentem outros 4 ou 5 bateras e vocês vão ver!!! 
vão comprovar o que eu apenas disse! abração amigos!!!

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

O Culto à Bateria


Quase que uma Religião!!!

Na América há uma coisa chamada CULTO à BATERIA!!! 
O Americano ama uma batera desde o século 19!

Foi Friedrich Gretsch e William F. Ludwig (ambos imigrantes Alemães nos U.S.A) que aperfeiçoaram suas marcas através dos tempos desde 1833 quando Friedrich montou seu primeiro drum-kit.

Hoje é possivel achar um drum-kit em cada Lar Americano (geralmente crianças começam a iniciação Musical no Ritmo ainda na escola e depois é que escolhem guitarra, teclado, voz, etc ...).

Os Americanos valorizam 200% o GROOVE o RITMO a pegada!!!

A Música pode até ser uma bosta, mas o Ritmo, o andamento, a levada, o groove na batera é o chão da coisa: "aquilo que mexe com você e te faz dançar"

Lá nos U.S.A. a BATERIA e o Músico Baterista são tremendamente valorizados, respeitados! Basta ver a indústria e o mercado musical, grandioso aparato por detrás disso tudo: Zildjian, Paiste, Sabian, Ludwig, Gretsch, Slingerland etc ....

Este ano a Feira MUNDIAL NAMM atraiu gente dos 4 cantos do planeta e certamente esses 999 mil fabricantes de pratos, e baterias estavam Lá para mostrar seus produtos!







domingo, 22 de outubro de 2017

The LAMB 1974

texto de: AMYR VON BATHEL CANTUSIO JR ALPHA III PROJECT

GENESIS - THE LAMB LIES DOWN ON BROADWAY (Album Duplo 1974).

OBRA MÁXIMA DO ROCK PROGRESSIVO anos 70.


Os problemas da BANDA em seus EGOS de não considerar o maravilhoso trabalho cênico e vocal + letras de PETER GABRIEL foi o motivo para a DISSOLUÇÂO da formação épica, central e mais maravilhosa da banda.


A FOTO abaixo é a última que tiraram JUNTOS.

Poderiam gravar mais um DISCO para a história, mas Peter se foi ...
Segue abaixo um comentario sobre 1974:


Os atritos começaram quando Peter recebeu um telefonema do diretor William Friedkin, responsável pelo filme O Exorcista. Friedkin tinha adorado a história que Peter havia escrito na contra-capa do disco Genesis Live e procurava alguém para escrever um roteiro de ficção científica, mas que não fosse do ramo. Resolveu então convidar Peter Gabriel, que logo aceitou o convite.
Peter perguntou se a banda se incomodava em parar por algum tempo a confecção do novo disco enquanto ele escrevia o roteiro; e a banda disse que sim, que não desejavam parar por nada. "Bem, eu quero fazer o filme, então deixarei o Genesis".

A primeira reação da banda foi "ok, temos bastante material instrumental, vá em frente", mas logo viram que era uma loucura.

Mike disse .... "Eu sempre gostei de trabalhar com Peter e senti que o grupo precisava de toda a energia que tivesse para terminar o projeto. Mas Peter continuava dizendo que se a oferta fosse realmente séria ele deixaria o grupo, o que considerei um absurdo. E ele realmente saiu um tempo para escrever o roteiro, mas não deu muito certo e ele acabou voltando e se comprometeu que acabaria o disco antes de fazer qualquer outra coisa. Porém, aquilo foi um sinal de que ele estava ficando cheio daquela vida."

Peter se sentiu muito contrariado e resolveu voltar para Bath (UK) até porque sua esposa estava grávida e deixou a parte de composição das melodias com o restante da banda. Ele já havia tido um pequeno atrito com Mike Rutherford que queria fazer o disco em cima do livro O Pequeno Príncipe, o que não aconteceu.

Mike: "Quanto mais você pressiona Peter, mais ele fica no canto. Nós o puxávamos para o grupo, ele ficava vago até que ele foi para Bath (UK) e nós ficamos com todo o trabalho por fazer. 
Sabíamos que não iríamos durar muito tempo", conta o baixista.
O convite do cineasta causou uma briga da banda com a gravadora Charisma e pouco-a-pouco o projeto do filme foi ficando mais difícil e Peter aceitou retornar ao trabalho após um telefonema de Michael. 
O vocalista disse que não queria ser pressionado e Michael pediu apenas para que ele adiasse por uns tempos seus projetos pessoais para se dedicar ao novo disco. 
Acordo fechado. 
Phil Collins acha que Peter voltou também porque Friedkin ficou muito assustado ao saber que poderia estar rachando o grupo e pediu desculpas pelo ocorrido.

Com o vocalista de volta, todo o conceito começou a ser montado. 
O disco possui uma longa história introdutória contada por um narrador. 
Rael faria uma viagem ao seu subconsciente e se confrontaria com a morte - caso de "The Supernatural Anaesthetist"; com o amor - "The Lamia" - e Peter povoaria tudo com seu grande conhecimento de mitologia.

Mas as gravações foram tensas e os músicos se revezavam em turnos no estúdio. 
Phil Collins trabalhava de madrugada no Island Studios, em Notting Hill, enquanto o restante trabalhava pela manhã. 
Para piorar, Gabriel ficava revisando as letras várias vezes, atrasando ainda mais o projeto. 
Quando resolveu gravar seus vocais, os demais foram expulsos do local. 
A tensão era tão grande que o guitarrista Steve Hackett acabou machucando um tendão e um nervo do seu dedo ao se cortar com um copo de vinho, o que adiou em três semanas a excursão britânica, sendo jogada para depois da parte norte-americana. 
O disco ainda teve a colaboração de Brian Eno, que fez algumas ambientações.

O disco foi lançado em Novembro de 1974 e no mês seguinte iniciava-se a turnê pelos Estados Unidos.

Peter adotou o personagem Rael, usando em boa parte uma jaqueta de couro e calça jeans, o que era diferente para quem costumava usar máscaras e mais máscaras nos shows em anos anteriores.
Entretanto, ele logo começou a usar criações assustadores no palco e o show logo deixaria os demais integrantes irritados, pois Peter Gabriel parecia ser a grande estrela central e não o Genesis. 
Claramente os demais membros ficavam escondidos ou em segundo plano.

The Lamb Lies Down on Broadway não foi um sucesso comercial, na verdade foi um tremendo fiasco. Alcançou apenas a 41ª posição na parada norte-americana, apesar de ser disco de ouro no Reino Unido em fevereiro de 1975, onde chegou ao 10º posto na parada, apesar de ter deixado talvez o maior clássico do grupo até hoje, "Carpet Crawlers". 
Para se ter uma idéia o disco demorou 16 anos para conquistar o almejado Disco de Ouro, na América, ou seja, 500 mil cópias.

Quando a banda começou a turnê pelo Reino Unido, Gabriel já tinha resolvido deixar o Genesis, mas só anunciou o fato em agosto do mesmo ano, causando choque entre os fãs, embora seus companheiros soubessem que isso ocorreria logo.

O cantor mostrava todo seu abatimento ao sair chorando dos palcos a cada apresentação, misto de tristeza por deixar o Genesis e pelas letras. Sem ele, a história e continuidade do grupo seria outra e Gabriel partiria em carreira-solo fazendo discos excepcionais porém numa outra área musical.

















GENESIS 1977 - 2017

há 40 anos!!!

1977 / 2017 Hoje uma data bastante significativa e especial. Eu ví GENESIS ao vivo na minha cara debaixo do meu nariz em 1977 no Maracanazinho Rio BraziL.
SECONDS OUT - que pena. Já sem P. Gabriel mas ....
EU NUNCA VÍ NADA IGUAL em termos de som tecnologia, performance, palco, Luz, produção, etc.
Esses caras assim como YES e PINK FLOYD, estavam 50 anos (meio século na frente). 
Hoje eu vejo (Finjo que vejo Rock in Rio) dá vontade de RIR. GENESIS continua e continuará sendo o meu som de cabeceira! Músicas como Carpet Crawlers, The Lamia, Seven Stones, Watcher of the Skies são obras que Mr. Hackett e os Hermanos GENETICS estão tocando até hoje 2017 e PASME: fazendo sucesso pois o PROG. nunca entrou ou saiu desses modismos e certas correntes Musicais Banais que se vê hoje.
Então é GENESIS FOREVER ....






Phill Collins HOJE?

23-10-2017 
PHIL COLLINS (Genesis); adeus Retôrno ..... Um dos maiores bateristas de sucesso internacional, Front-Man Vocalista do Genesis (depois de Peter Gabriel) impossibilitado de andar bem e tocar bateria.

Quem assume são seus Filhos (musicos medianos): Simon Collins e Nick (Nickollas Collins).

Phil não tem mais condições!!!

Ensaiou um possivel retorno, mas é hora de parar!

OS FATOS:

Desde muito tempo ele sumiu após sucesso estrondoso!
Muitos anos tocando com o GENESIS e na sua carreira SOLO trabalho POP com grande repercussão internacional nos anos 90.

Ele chegou ao STRESS e exaustão com um tipo de artrose nas mãos e nos punhos que mal conseguia empunhar um par de baquetas, que dirá tocar???
Teve hérnia de disco devido a má postura! um Tímpano estourado, surdêz, e pra piorar alcoolismo. 
Tratamentos e remédios não faziam efeito!
deu no que deu ....
ele teve que parar. 
Eric Clapton ano passado esteve numa cadeira de Rodas também!
Tristesa! Foi-se uma época
2017 fêz 40 anos da Tour Mundial do GENESIS (1977) Seconds Out







sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Baquetas?


Hoje eu quero FALAR de algo que vai causar muito conflito aqui:
BAQUETAS!!!

Desde o surgimento da BATERIA veio com ela junto um acessório vital para que o Musico pudesse "percurtir" digo "tocar" nas peças!

Apresento-vos a Baquetaaaa! 

Então não existia essa PALHAÇADA de Vic-Firth pra Lá Vic-Firth pra cá! 
Não sou endorser dessa porra e nem vou ser! 
ISSO É MODINHA di BATERA NUTELLA Filinho di papai, (podem me bater me chingar) mas R$ 60,00 num pedaço di pau?

Há 70 anos atrás não tinha isso! e se vc quer pagar caro por uma baqueta GRINGA compra REGAL TIP by CALATO.
Ela tem uma barra de grafitte por dentro! é uma baqueta boa, madeira boa e dura muito, mesmo na mão daqueles CUPINS que comem a baqueta no Hi-hat ahahahah ......

Entendam que QUALQUER par de baquetas tem que ter a mesma espessura, peso, tamanho, ponta e tem que estar PERFEITAMENTE BALANCEADOS sem empenos!

Isso não é só uma qualidade das Vic-Firth. 
Toda baqueta é torneada dentro desse padrão!!! 

Mas todo mundo tem que usar Vic-Firth porque o Tio SAM mandou??? ora pourra???

Comprei um par de uma tal TENESSEE brazuca 5A levinha R$ 22, Mérreus, a ponta extamente igual Vic-Firth botei Lado à Lado: SOM digo; TIMBRE produzido extamente o mesmo!!!

Bem eu nem preciso falar mais nada! 
Pra finalizar tem outras 999 mil marcas, mas porque essa doença de Vic-Firth pra que isso??? 
Pra dizer que é TOP??? 
Na boa TOP é o meu pedal de Bumbo, meu banco, minha caixa, meus pratos!
Pra tirar um som do meu RIDE eu toco até com caneta Bic.
Vamos parar com essa doença de que no mundo existe só uma marca VIC-FIRTH isso é um raciocínio errado! virou moda, virou doença ..... tenho dito .....